domingo, dezembro 31

Informativo da Escola de Educação Integral em Capitólio-MG


Editorial


Este é o primeiro número do Informativo da Educação Integral em Capitólio. Decidimos criar este instrumento de comunicação, visando dar mais um passo efetivo no sentido de fortalecer a Educação enquanto um Coletivo de Instância Educativa. Não será um Informativo "colcha de retalhos", onde um dos membros da educação tem o seu espaço e nada mais. Ao contrário, é nossa intenção que seja um instrumento educativo e político, com prestação de contas e debate das questões que afetam a educação. A ideia deste Informativo de forma digital não é nova nesta gestão. O Blog da Educação, em anos anteriores, fez este trabalho. A criação do Informativo no blog é uma medida concreta para esta direção. Consideramos o Informativo necessário aos educadores e alunos, para que estes possam ter conhecimento do que fazem pela e para Educação de Capitólio. Vale ressaltar que será um Informativo Educativo, onde alunos, pais, ex-alunos e educadores poderão expor suas opiniões. Não será restrito a Secretaria. O Informativo pretende, através do corpo docente e discente das escolas, evitar notícias destorcidas ou incompletas. Para sabermos se foi bem sucedido ou não, esperamos contar com o retorno crítico de nossos leitores. Procurem-nos na Secretaria, www.dmecapitolio.blogspot.com.br, escolas e façam suas críticas. É nosso desejo que o Informativo seja publicado bimestralmente, ampliando, assim, a comunicação da educação com todos aqueles envolvidos direta e indiretamente. Contamos com o apoio, críticas e opiniões dos leitores sobre a nossa Educação.


Projeto Sementes do Amanhã
           
A Educação Integral de nossa Rede Municipal consolidou-se neste 2017 de forma Integrada.


Integral. Por definição, quer dizer total, inteiro, global. É isso o que pretendemos com a Educação integral: desenvolver os alunos de forma completa, em sua totalidade. Muito mais do que o tempo em sala de aula, a educação integral reorganiza espaços e conteúdo.
Um grande desafio, mas que consolidou em 2017. Em Parceria com efetiva com os departamentos de Esporte e Cultura e parcialmente com os demais departamentos, promovemos a ampliação de tempos, espaços e oportunidades educativas, de modo que a tarefa de educar seja dividida com os pais e a comunidade organizada.
Todos os alunos atendidos cursam as mesmas disciplinas e oficinas no contra turno escolar, e os professores procuram mostrar como se relacionam as diversas áreas do conhecimento.
O  Centro de Educação Infantil Irmã Irene trabalha a  Educação Integral com a maioria de seus alunos, a Escola Municipal Elias Teodoro, teve o seu Espaço ampliado para o melhor atendimento no contra turno, com a Construção da Casa de Cultura em parceria passamos a utilizá-la para aulas de música deslocando para lá nossos alunos e alunas um dia da semana, com a parceria do Esporte com o Instituto Federal do Sul de Minas campus Muzambinho foi estabelecida a parceria para o curso de canoagem e múltiplos esportes utilizando espaços próprios e apropriados. Capitólio está implantando a educação integral de acordo com a própria realidade, construindo espaços, nomeando professores, coordenador, aulas de Xadrez, Educação Física, Música, Of. de esportes, Inglês, sala de Informática, Educação Cidadã, Educação Empreendedora, etc. Otimizamos o Tempo dos professores para que os mesmos não tivessem de voltar na Escola depois do horário para Planejar, enquanto os professores de Inglês, Ed. física, Xadrez e Arte fazem o seu trabalho professores de uma mesma série planejam com a Supervisora, a Coordenadora teve entre outras a função a de elencar junto as professoras e aos professores os alunos com dificuldades específicas e fazer um Plano de Intervenção Pedagógica (PIP) no momento certo.
Foram observados os seguintes Objetivos Específicos na Educação Integral.

Amarrar atividades do Turno e Contra Turno. O turno complementar, oposto ao do horário de estudo da criança, é importante para enriquecer a aprendizagem. No entanto, a existência por si só desse contra turno não significa educação integral. "Não basta oferecer uma variedade de atividades para preencher o tempo das crianças. Elas precisam estar ligadas ao conteúdo".


Apostar nas atividades Extraclasse. O reforço escolar, período em que a lição de casa é feita e no qual os alunos com dificuldades ganham atenção extra, é parte da educação integral, mas não reflete o sistema de ensino. Além do reforço escolar para alunos com dificuldades de aprendizagem, é preciso aumentar o tempo de estudo integrado para todos os outros estudantes, com ou sem deficiências para aprender.

Ter um Projeto Pedagógico Definido. Educar integralmente significa pensar a aprendizagem por inteiro. E é por meio do projeto político-pedagógico que se mobiliza e costura a oferta de experiências capazes de desenvolver habilidades cognitivas e intelectuais, afetivas, físicas, éticas e sociais. O projeto deve ser muito bem definido para atender às necessidades de alunos concretos, situados em um dado território, com demandas, interesses e repertórios culturais que devem ser reconhecidos.

Integrar espaços, saberes e agentes educadores. O espaço da cidade pode complementar as lições da sala de aula. O traçado da rua pode ajudar na aula de geometria, a história do bairro na aula de história, as placas da rua nas aulas de português. As árvores, na aula de ciências. E por aí vai. A educação integral considera a cidade como território educador, propondo a exploração de novos itinerários na ação educativa; coloca na mesma mesa os muitos saberes produzidos socialmente, mediados pelas questões contemporâneas. Produz aproximação e integração entre os diversos campos do conhecimento (artístico, linguístico, científico, ético, físico) articulados às vivências na escola, na família e na comunidade.







Valorizar a Diversidade Cultural. No mundo, as pessoas têm respostas diferentes para situações diferentes e com isso constroem a sua cultura, ou seja, os seus hábitos de vida. Uma Educação integral deve mostrar isso e, assim, tanto aumentar o repertório do estudante quanto mostrar a importância de se respeitar os diferentes estilos de vida. Quando uma criança aprende a respeitar a diferença, ela aumenta seus horizontes - ficará mais fácil para ela ficar amiga virtual de outra criança que fale a sua língua.

Valorizar a família e a Comunidade. É muito importante, portanto, trazer essa experiência, esse capital social e cultural, para a sala de aula. É preciso que esse saber que não se aprende na escola seja aproveitado na sala de aula. É preciso que a vida em família e a vida escolar sejam irrigadas por relações com as comunidades, os territórios, a cidade. "Até pouco tempo, a escola era um espaço para dar conta da aprendizagem de crianças e adolescentes. Hoje, os alunos demandam outros interesses, outros valores que não só os da disciplina. E a escola não é suficiente para dar conta dessa demanda. Ela precisa se unir a outros espaços socioculturais".












Expandir a Educação para outros setores. E quem disse que ir a uma Casa de Cultura não faz parte da Educação? Ou fazer um passeio raro em um Centro de Educação Ambiental? Existe sim aprendizagem fora da sala de aula e em situações do dia a dia. Não há mais sentido em uma educação trancada na sala de aula. Para um aprendizado integral, deve-se considerar o investimento em outras políticas setoriais, como cultura, esporte, assistência social e meio ambiente. A educação integral acontece quando está integrada a um projeto que vê a política social como um todo. Fonte: LDB, Experiências com Introdução do Projeto em 2014 em Capitólio-MG, Adap. Ao Texto de Daniele Zebini.




Formação Continuada
 Para encarar tantas mudanças e adaptações estivem em campo as direções, coordenações, supervisoras e educadores o que culminou com algumas ações coletivas para trabalhar de forma Integrada a nossa Educação Integral.




Conferência Municipal de Educação

A Conferência Municipal de Educação em Capitólio, foi um momento especial na história das políticas públicas do setor, constituindo-se um espaço de deliberação e participação coletiva, envolvendo diferentes segmentos, setores e profissionais interessados na construção de políticas de Estado. Teve como tema central o PNE(Plano Nacional de Educação) na Articulação do Sistema Nacional de Educação. Teve como objetivo monitorar e propor emendas aditivas e supressivas a Política Nacional de Educação, indicando responsabilidades, corresponsabilidades, atribuições concorrentes, complementares e colaborativas entre os entes federados e os sistemas de ensino trabalhados pela CONAE para elaboração do PNE(2014-2024).
Tivemos a Presença de 407 conferencistas entre gestores, professores, pais, movimentos sociais, alunos e alunas que tiveram conosco durante todo o dia até a eleição de nossos delegados às 16h30. Obrigado a todos e todas pela parte cultural, ao Ricardo Medeiros pelo grande diálogo do sempre professor que tornou a nossa S.R.E uma instituição regional e de debate coletivo.



Participamos e fomos eleitos delegados estaduais. Decidimos que é importante a gente participar do debate com a sociedade civil, que tem muita legitimidade, mas também que é importante se fazer presente nas discussões do Ministério da Educação, até para se contrapor às políticas do MEC, portanto, em Capitólio tivemos uma Conferência Exitosa e na Conferência Territorial de Varginha com mais de 150 cidades fomos firmes no debate e conseguimos eleger nossos delegados para a Estadual em Março, estamos em um momento de desmonte dos avanços sociais e o nosso comprometimento precisa ser a nossa arma de luta.


Formaturas

As formaturas foram um sucesso em organização, participação e compromisso.









Leandro Karnal

Textos,